ESTE BLOG É PARTE INTEGRANTE DA BLOGOLÂNDIA DO ESPAÇO INTERNÉTICO! EXPLORE ESTE ESPAÇO!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Benjamin Button - decepção do ano!


Lá fui eu ao cinema (na época do Oscar) toda feliz com uma amiga ver o novo filme do gatérrimo Brad Pitt, " O Curioso caso de Benjamin Button"! Eu gosto de surpresas então não costumo ler sinópses. Muito raramente faço isso. E eu tinha ouvido muitas pessoas dizerem que o filme era muito interessante.

Eu só sabia que os personagens de Brad Pitt e Kate Blanchett se encontrariam numa fase madura de suas vidas e viveriam uma relação amorosa. E isso era tudo que eu sabia a respeito do filme.

Cheguei ao cinema achando que ia amar o filme, mas... quanta decepção! Ok, ainda estamos em abril. É muito cedo pra eu taxar qualquer filme de "a decepção do ano" como fiz no título deste texto. A questão é que por enquanto ele foi a maior decepção e eu espero não ter outras, em matéria de cinema (e de tudo - rsrs) pelo resto de 2009!

Não que o filme seja péssimo - "Amor em tempos de cólera" foi pior (só que não foi deste ano)! Mas... além de muito lento pro meu gosto e de ser uma história meio sem pé nem cabeça, também acho que foi mal contada.

Vamos por partes: no começo não dá pra entender nada e o porquê daquilo ter acontecido apenas com uma pessoa não ficou bem explicado. Pelo menos não pra mim... Então o filme vai acontecendo bem de vagar e nada de Brad Pitt aparecer! Quando ele filnalmente aparece, está irreconhecível! Um belo trabalho de maquiagem, claro!

As atuações de Brad e Kate foram muito boas, mas o filme só começou a melhorar bem depois da metade. O final foi absurdo e de tão estranho chega a ser engraçado. Ele bebêzinho, no colo da sua amada já bem velhinha olhando pra ela e em seguida morrendo!

Benjamin nasceu velho, mas não era velho porque tinha o tamanho de um bebê recém-nascido (claro, senão ele não caberia no ventre da mãe). Aos poucos ele vai crescendo e ao mesmo tempo rejuvenescendo, cada vez mais.

Quando ele tinha uns 18 anos (idade cronológica) ele não podia fazer as mesmas coisas dos rapazes de sua idade porque seu físico era de uma pessoa idosa. Ele tinha as mesmas curiosidades e anseios de todo jovem mas não podia aproveitar essa fase.

Décadas depois, quando ele já devia estar com uns 70 anos de vida, ele tinha a aparência e a vitalidade de um jovem de 18 anos. Mas já era um homem maduro, cheio de experiências pelas quais passou na vida, e assim já não tinha o mesmo interesse em curtir as coisas da juventude. E se o fizesse, não teria o mesmo sabor de novidade porque ele não estava mais descobrindo a vida e o mundo como acontece com os jovens.

Quando criança, ele literalmente perdeu o juízo. Pirou! Não sabia nem quem ele era! Deprimente...

Como pode um corpo tão jovem de repente morrer? Como se explica isso do ponto de vista biológico? Não tem explicação! Tudo bem que é um filme de ficção. Mas o espectador não pode sentir que está sendo feito de bobo! Infelizmente foi isso que eu senti.

Não li o livro que deu origem ao filme, e nem quero ler. Com todo respeito a quem criou a história e aos que a levaram ao cinema, eu só acho que ela deveria ter sido pelo menos contada de uma maneira mais convincente, mais crível.

Eu e minha amiga saímos do cinema com uma sensação estranha de termos perdido tempo... Uma pena! E nem ao menos tivemos o consolo de ver um dos maiores galãs de Hollywood, porque o Brad só aparece mais bonito, sem aquela maquiagem de velho quase no final do filme (isso antes de surgir com cara de um moleque de 15 anos)!

Conclusão: Nem todo filme elogiado pela crítica cai no gosto do público. O que é um bom filme, afinal? Pra mim, um bom filme tem que ter uma boa história, que seja bem contada e principalmente que transmita emoção. O espectador tem que ser tocado. Não basta contar uma história, é preciso fazer com que o público sinta e até mesmo viva essa história...

Bom, que 2009 nos traga mais filmes e melhores do que este!!! rsrsrs

Até sexta-feira!!!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Mulheres Carecas - Por que o preconceito???



















Estive pensando em quantos tipos de preconceitos podem existir...

Muitossss... com certeza! Infelizmente...


Ontem uma amiga estava me lembrando de quando raspei a cabeça. E não foi uma nem duas vezes. Eu fiz isso várias vezes, sempre que tive vontade.


Desde os meus quinze anos de idade eu dizia que iria raspar a cabeça um dia. E falava pros meus amigos que isso aconteceria no ano 2000. Bom, não aconteceu exatamente no ano 2000 mas em 2002 ou 2003 comecei a usar máquina 2. E assim foi por alguns anos. Depois, às vezes deixava o cabelo crescer um pouquinho, outras vezes cortava bem curto e outras vezes eu passava novamente a máquina 2. Até que em 2006 tomei coragem pra fazer o que eu realmente queria: passar máquina 0. Os motivos foram vários... projeto teatral (no qual este visual combinava com a personagem), busca espiritual, o calor que estava fazendo naquele mês de outubro, mudança de visual, auto-conhecimento, desejo de liberdade, praticidade... Enfim, muitos motivos. Mas no fundo eram todos apenas um pretexto pra eu criar coragem e fazer o que eu sempre quis. O motivo real é esse: porque eu quis, porque eu gostava, me sentia bem. Mas parace que quando a gente é mulher tem que ter sempre uma razão pra raspar os cabelos.


Mas parei de pensar no que os outros iam pensar então raspei a cabeça (com máquina zero e depois lâmina de barbear) em um salão explicando à cabeleireira que estava fazendo uma peça de teatro. E assim eu me tornei uma "mulher careca". A sensação de ter a cabeça nua, lisinha e livre é realmente muito boa. Me olhei no espelho e realmente curti o meu novo visual. Alguns amigos gostaram, outros disseram que eu estava doida, outros simplesmente diziam que se eu me sentia bem assim, era isso que importava... E repeti a "loucura" por muitas e muitas vezes durante dois anos. Eu mesma raspava, com gielete durante o banho. Rápido e prático. Depois lavava a cabeça lisinha com o meu sabonete mesmo.


Nas ruas, algumas poucas pessoas comentavam, algumas ficavam olhando e a maioria nem ligava, afinal não sou a única "doida" da minha cidade que raspa a cabeça ou pinta os cabeços de rosa choque, roxo ou verde! rsrsrs Algumas pessoas vinham me dizer que queriam ter a minha coragem. Com certeza houve pessoas que pensaram que eu devia ter algum problema de saúde ou ter levado trote no vestibular. Inclusive uma senhora certa vez, numa fila de banco me perguntou: "Menina, isso foi trote?" rsrsrsrs


Mas o preconceito maior senti quando "ousei" colocar uma foto minha no orkut, careca. "Choveram" scraps e também mensagens no msn e por e-mail de pessoas me perguntando se eu estava doente!!! Outros me perguntaram se eu havia virado monja budista ou "feito a cabeça" no candomblé! Enfim, perguntavam se eu tinha me iniciado em alguma religião ou seita... Outros perguntavam se eu tinha virado punk, se eu tinha me revoltado, enfim... Perguntavam muitas coisas, sempre buscando uma justificativa pra eu ter feito aquilo! E eu tinha que ficar explicando que gozo de perfeita saúde, que não enlouqueci, não levei trote, não virei punk, não me revoltei e nem me converti a nenhuma religião onde se raspe a cabeça! Por fim, eu já não explicava mais nada... Cansei! rsrsrs


Oras, será que eu não poderia ter raspado a cabeça simplesmente porque me deu vontade??? Os homens não raspam a cabeça quando querem, quando se sentem bem com a ausência de cabelos lhes esquentando o couro cabeludo? Por que as mulheres têm que ter um motivo bem convincente pra fazer o mesmo? "Ah, mas raspar a cabeça é normal pros homens, mulheres de cabelos compridos ficam mais femininas", já ouvi algumas vezes. Ok. Então vou mudar a pergunta: mas os homens não deixam seus cabelos crescerem quando querem também? Se cabelo comprido é pras mulheres, como é que os homens "cabeludos" não sofrem preconceito? Ninguém diz que eles estão doidos, ou que entraram pra alguma seita, nem ficam tentando justificar o fato de terem optado por cabelos longos! Então os homens podem fazer o que querem com seu visual e a mulheres têm que se enquadrar num certo padrão limitado, dentro daquilo que "pega bem"?...


Conheço muitas mulheres que têm vontade de raspar os cabelos, mas lhes falta coragem (como me faltou um dia) justamente por causa dos outros, da sociedade que ainda, em pleno século XXI é machista e preconceituosa.


Algumas amigas minhas também já fizeram o que eu fiz e todas elas se sentiram muito bem. Eu acho que a partir do momento que a gente deixa de se preocupar com o que os outros vão pensar ou falar, conseguimos realmente fazer o que queremos. Meu lema aqui é: seja você mesmo, independente dos outros! Um amigo me disse um dia desses: "eu sou eu, os outros são os outros!". Simples assim!


É claro que a opinião dos outros é válida. Amigos existem pra nos ajudar, nos aconselhar quando precisamos, enfim... pros bons e maus momentos! Mas isso até certo ponto: até onde não deixamos de ser nós mesmos!


Portanto, mulherada que quer raspar a cabeça: vá em frente! Faça o que quer sem ligar pro que os outros vão pensar, afinal "os outros são os outros" e cada um vive a sua própria vida! E vou dizer mais: vale a pena! É muito bom estar careca por livre e espontânea vontade, sentir o vento na cabeça, ver o quadro sem ter que prestar atenção na moldura, não precisar usar xampu nem pente, não gastar tempo e dinheiro com vaidades em um salão de cabeleireiro.


E tem outra vantagem: muitos homens gostam! Recebi até umas propostas bem interassantes! rsrsrs Cada vez é maior o número de mulheres que raspam a cabeça PORQUE GOSTAM e também de homens que curtem mulheres carecas.


Bom... é isso aí! Mulher tem que ter atitude, e pra todas as mulheres que acham um saco ter que se submeter a essa ditadura do cabelão, digo simplesmente: NÃO SE SUBMETA. Se não quer, não aceite! E ninguém tem nada a ver com isso! Enquanto aceitarmos as regras não vamos nos livrar deste preconceito!


Se eu cismar de raspar a cabeça novamente, farei sem pestanejar! Desde que tomei coragem, ninguém me segura! O difícil é mesmo o primeiro passo, depois o caminho é tranqüilo! É só relaxar e curtir!


Uma ótima semana pra todas as mulheres e homens, carecas e cabeludos(as)!

E até quarta-feira!!!


*Ah, essa da foto sou euzinha mesma, quando estava careca.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Chinese Democracy - O Guns N' Roses voltou!



























Quinze anos se passaram desde que o Guns N' Roses lançou seu último trabalho de estúdio (um CD de covers chamado "The Spaghetti Incident?", lançado no segundo semestre dem 1993).

De lá pra cá os fãs ficaram esperando o novo disco... E como fã me incluo nisso, então: esperamos... esperamos... esperamos...

Parecia até que o disco não ia sair nunca! Mais membros originais deixaram a banda, Axl resolveu sumir da mídia, boatos, brigas, trocas de componentes na banda...

Mas Axl voltou com uma nova formação para o Guns e apresentou algumas das novas músicas no show do Rock in Rio III, em janeiro de 2001 (eu estaria lá se não fosse um probleminha familiar que ocorreu na época - drogaaa!). Naquela noite, o GN'R foi a atração principal, a última banda a se apresentar (as outras só estavam lá pra abrir pra eles!), e levou duzentas mil pessoas à Cidade do Rock para vê-los! Ou melhor para ver Axl Rose (e de quebra ver Dizzy também)! Por aí a gente vê o tamanho do carisma do cara! Mesmo tendo sumido durante um tempão, mesmo tendo se metido em um monte de confusões, mesmo estando vários quilos mais gordo, mesmo sem estar lançando disco, mesmo com uma formação quase totalmente nova na banda... O CARA LEVOU UM PÚBLICO IMENSO À LOUCURA!!! Não é à toa que ele é (sempre será) o maior frontman do rock mundial!!! Foi realmente impressionante! Tive contato com alguns fãs que estiveram com ele (e conversaram com ele), e eles foram unânimes em dizer que o carisma dele é mesmo gigantesco! Quando está de bom humor (e por sorte naquela época ele estava), é a simpatia em pessoa. Mas quando está "com a macaca" sai de baixooo senão podem voar cadeiras, telefones, ou até garrafas de vinho! hauhauaha

Bom... depois disso algumas das novas músicas surgiram na internet e os fãs puderam conhecê-las. Mas o disco... nada!

De 2000 Intentions o álbum passou a se chamar Chinese Democracy e esse título permaneceu por quase uma década, até q... ELE FOI LANÇADO, no final de 2008!!!!!!!!

ALELUIAAA!!!!!

Demorou, mas chegou!!! A espera foi longa, mas o CD está aí.

É claro que não dava pra esperar que fosse um sucesso estrondoso, mesmo porque a essa altura do campeonato as músicas (ou pelo menos a maioria delas) já estavam mais do que "manjadas". Todo mundo as conhecia! Com a internet, a indústria fonográfica nunca mais será a mesma de antes!!!

Mas eu sinceramente, fiquei muito feliz no dia em que comprei o CD! E eu o ouço sempre, como os outros da banda. Antes de falar das músicas, quero comentar algumas questões que têm sido muito freqüentemente colocas por fãs, não fãs e detratores da banda:

- "Ah, mas isso não é GN'R! É o Axl com outros músicos!"

Discordo! É Guns N' Roses, sim, senhores, senhoras, pirralhos e pirralhas!Vários líderes de bandas de rock (geralmente vocalistas) já fizeram isso: trocaram os músicos todos, exceto eles próprios. Axl não foi o primeiro nem será o último. E se os outros quiseram se mandar, fazer o que? Deixar o Guns morrer? Ah, isso não!!! E além disso, Axl sempre foi o cérebro, a alma, a força central da banda, aquele que dá a cara, a direção da banda. Claro que os outros, principalmente Slash e Duff fazem falta! Com eles era melhor, sem dúvidas, mas... se eles não estão lá, paciência - ou melhor "patience"! Vou sempre dar valor ao que eles fizeram um dia na banda, mas em relação a este disco, valorizo aqueles que o fizeram! E também temos o primeiro e único tecladista do Guns: Dizzy Reed. Ele pode não ser da primeira formação, mas é da segunda, é o tecladista original. E está lá! Assim sendo, já não se pode dizer que dos bons tempos só restou o Axl na banda!!!

- "O som está diferente, então não é GN'R!"

Novamente discordo! Basta pegar um por um todos os CDs do Guns para ver que não tem um igual ao outro. O Axl nunca foi chegado em fazer "mais do mesmo". Tem fã que procura nesse novo disco, o mesmo som dos Illusion ou até mesmo do Appetite! É bom lembrar que na época do lançamento dos Illusion havia fãs radicais que estavam procurando neles o mesmo som do Appetite!!! Mas eles acabaram amando os novos discos, de 1991! E por que? Porque a essência do Guns estava lá, assim como ela também está em Chinese Democracy! E isso tem muito a ver com a voz do Axl, seus muitos tons e timbres vocais, a maneira visceral como ele canta e também a energia presente nas músicas. É algo que não tem muito como explicar, mas sim sentir. Portanto, todos os CDs do Guns são diferentes uns dos outros (por isso ser fã dessa banda é estar sempre aberto a mudanças, ao novo, porque assim é o seu instável e genial líder), mas a essência, energia, esse "algo" inexplicável mas "sentível" está sempre presente em todos eles, e na mesma proporção!

O Axl é doido? Pode ser... sei lá!!! rsrsrs

Mas o cara sabe fazer rock do bom!!!

Este CD é prazeroso de ouvir, como todos os outros da banda. Depois de ouvir uma vez, dá vontade de ouvir novamente! E depois, de repetir algumas músicas (tem dias que quero repetir algumas e em outros dias, repito outras)... Tem uma pitada de tecno, sim. Mas é um disco de alta qualidade, muito bem produzido e com uma sonoridade variada e eletrizante! O Axl recuperou a voz - afinal sua garganta ficou bem descansada sem o rítimo intenso da turnê gigante que durou do começo de 1991 até o final de 1993! Ele está cantando pra carambaaaaa!!!

A primeira música, que dá nome ao disco é mtooo boa, assim como a segunda "Shackler's revenge" (o refrão é show de bola!). Amo "Streets of dreams", "There was a time" é pura energia e em algumas músicas o ruivo canta com aquela voz bem fininha, bem aguda do começo da banda, como ele costumava fazer lááá no começo e meados da década de 80 nos bares não tão bem freqüentados de L.A.! Sinal que ele está em forma (vocalmente falando)! "Catcher in the rye" e "Madagascar" também sempre merecem bis, "Sorry" é muito intensa... "I'm sorry for you, not sorry for me..."! "This I love" é simplesmente a cara do Axl, é muito forte também. E o Axl continua mandando muitooo bem nas letras!

Pra quem ficava pixando o Guns, dizendo que a banda iria virar tecno quebrou a cara! O disco é de rock, basicamente hard rock. Com pitadas de tecno sim, mas e daí? Se não tivesse uma mistura, se não tivesse uma piraçãozinha... não seria GN'R, não seria W. Axl Rose (e sem Axl não existe Guns).

Portanto, não é (como muitos críticos andaram falando) um disco só para os fãs, só pra quem é "gunner". É um ótimo disco de rock, de uma das melhores bandas de rock de todos os tempos (pra mim a melhor de hard rock), feito para quem curte um bom rock, um bom som, uma boa música! E sobretudo para as pessoas que não vivem presas ao passado e a preconceitos!!!

Abra a mente e os ouvidos e DEIXE O NOVO SOM DO GUNS ENTRAR!!!

É do bom, pura energia do rock n' roll!



*Agora é só tomar cuidado pra não furar o seu CD de tanto ouvir! rsrsrsrs

Fotos (da esquerda pra direita e de cima pra baixo):
- A Capa do CD Chinese Democracy.
- Axl antes (década de 80) e depois (década atual). Ele não mudou praticamente nada (a não ser pelas trancinhas)!!!
- Duas fotos de Axl com sua secretária, assistente, amiga e confidente brasileira Betha Lebeis.
- A banda em sua formação original: Duff, Slash, Axl, Steve e Izzy.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Gênios Vegetarianos - Frases sábias!!!









Recebi um e-mail, com um lindooo slide q continha essas frases ao lado das fotos daqueles que um dia as disseram.

Muitos deles viveram há muitooo tempo, e a gente observa que infelizmente nós evoluímos muito pouco de lá pra cá. Essas frases continuam sendo importantíssimas pra nos ensinar, nos fazer refletir sobre nossos hábitos e sobre o que é normal ou natural nessa vida!!!

É natural matar um animal pra comer quando já não temos aqueles presas enormes dos tempos das cavernas?

É normal nos preocuparmos tanto em satisfazer o paladar por poucos minutos tirando a vida inteira de um serzinho de Deus quando nossa mente evoluiu e já podemos pensar no que é certo e errado em vez de apenas seguir nossos instintos?

Será q o mandamento "não matarás" se refere apenas a pessoas?! Creio que não, afinal ele é bem abrangente... Não é "Não matarás gente" e sim "Não matarás".


*Essas frases abaixo foram coletadas por RILDO SILVEIRA.

POR FAVOR LEIAM COM MUITA ATENÇÃO...
PENSANDO COM A MENTE, SENTINDO COM O CORAÇÃO.




Albert Einstein:
“Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as chances de sobrevivência da vida na terra quanto a evolução para uma dieta vegetariana. A ordem de vida vegetariana, por seus efeitos físicos, influenciará o temperamento dos homens de uma tal maneira que melhorará em muito o destino da humanidade”.

“Nossa tarefa deveria ser nos libertarmos ... aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a natureza e sua beleza”.

Leonardo da Vinci:
“Tempo virá em que os seres humanos se contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança de um animal inocente como hoje se julga o assassínio de um homem”.

“Criamos a nossa vida da morte dos outros seres. Os homens e as feras não são mais do que eternos cemitérios ambulantes, túmulos uns para os outros”.

Gandhi:
“Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para a satisfação de nossos desejos corpóreos”.

“A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados”.

“Tudo o que vive é o teu Próximo”.

“Deveríamos ser capazes de recusar-nos a viver se o preço da vida é a tortura de seres sensíveis”.

“Você precisa ser a mudança que você quer ver no mundo”.

“Em meu pensamento, a vida de um cordeiro não é menos importante que a vida de um ser humano”.

Pitágoras:
“Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor”.

“A carne é o alimento de certos animais. Todavia, nem todos, pois os cavalos, os bois e os elefantes se alimentam de ervas. Só os que têm índole bravia e feroz, os tigres, os leões etc. podem saciar-se em sangue. Que horror é engordar um corpo com outro corpo, viver da morte de seres vivos”.
“Os animais dividem conosco o privilégio de ter uma alma”.

“Nunca tempere teu pão no sangue dos animais nem nas lágrimas de teus semelhantes”.

Jesus:
“Amai o próximo como a si mesmo”.

“Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos”.

“Este é o meu Mandamento: amaivos uns aos outros como eu vos amei”.

“Então Jesus disse: segue teu caminho e não maltrate os animais, para que tu, por tua vez, encontre um dia a misericórdia.”
Darwin:
“A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana”.
“Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais nas suas faculdades mentais... os animais, como os homens, demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento”.
Bernard Shaw:
“Isto é terrível! Não apenas o sofrimento e a morte dos animais, mas o fato de o homem reprimir em si mesmo, desnecessariamente, a mais elevada capacidade espiritual - a de simpatia e piedade para com as criaturas-vivas como ele próprio - e ao violentar os seus próprios sentimentos, se torna cruel”.

“Oramos aos domingos para que possamos ter luz; que guie nossas passadas na trilha que palmitamos; estamos saturados de guerra, o conflito não nos seduz; mesmo assim é dos mortos que nos fartamos”.

“O maior pecado que cometemos para com outras criaturas não é odiá-las, mas ser indiferente a elas. Essa é a essência da falta de humanidade”.


Budha:
“O homem implora a misericórdia de Deus mas não tem piedade dos animais, para os quais ele é um deus. Os animais que sacrificais já vos deram o doce tributo de seu leite, a maciez de sua lã e depositaram confiança nas mãos criminosas que os degolam. Ninguém purifica seu espírito com sangue. Na inocente cabeça do animal não é possível colocar o peso de um fio de cabelo das maldades e erros pelos quais cada um terá de responder”.

“Todos os seres vivos tremem diante da violência. Todos temem a morte, todos amam a vida. Projete você mesmo em todas as criaturas. Então, a quem você poderá ferir? Que mal você poderá fazer”?

“Feliz seria a terra se todos os seres estivessem unidos pelos laços da benevolência e só se alimentassem de alimentos puros, sem derrame de sangue. Os dourados grãos que nascem para todos dariam para alimentar e dar fartura ao mundo”.

“Um homem só é nobre quando consegue sentir piedade por todas as criaturas”.

*Nas fotos temos: Albert Einstein, Leonardo da Vinci, Jesus e Budha.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Campeonato Carioca - o mais charmoso do Brasil!!!

Pois é... ontem vi meu Mengão ganhar do Botafogo mais uma vez! Assisti de "camarote", da janela do meu apartamento a festa na rua!

E agora podemos dizer que já temos um título esse ano...
"Ah, mas Taça Rio não é título!", alguém dirá... Como sabiamente disse no ano passado o nosso então técnico Joel Santana sobre a Taça Guanabara: "Se tem Taça, tem volta olímpica e tem faixa de campeão é título!"

Flamengo e Botafogo já têm títulos ganhos em 2009. Quem vai ser o Campeão Carioca que é o título principal, ainda não sabemos, mas os dois times já gritaram "é campeão!" esse ano...

Não é à toa que o Campeonato Carioca é considerado o mais bonito, tradicional e charmoso do Brasil. E também é o mais alegre, colorido... o melhor!!!

Uma vez, em uma discussão em que um amigo meu foi questionado sobre o porquê do povo de Juiz de Fora gostar muito mais do Campeonato Carioca do que do Mineiro, Paulista ou qualquer outro, a resposta foi certeira! Ele enumerou um monteee de motivos, dos quais talvez eu não me lembre todos, mas aqui estão os principais que ele citou e que fez calar o seu interlocutor:

- São QUATRO time grandes, com torcida em todo o Brasil e todos com títulos nacionais da primeira divisão.
- Com isso, temos SEIS grandes clássicos diferentes, com torcidas enormes e entusiasmadas abrilhantando o espetáculo.
- Cada um desses clássicos históricos se repete mais de uma vez durante o campeonato.
- A rivalidade é muito grande e isso aumenta a emoção.
- Existem duas etapas, ao final de cada uma se conquista um título e o primeiro deles é a tradicional Taça Guanabara.
- Foi nos times do Rio que jogaram as maiores lendas do futebol brasileiro como Garrincha, Zico, Roberto Dinamite e muitos mais.
- Romário só jogou em times cariocas, três dos grandes: Flamengo, Fluminense e Vasco.
- Ronaldo embora tenho jogado no Cruzeiro, começou no São Cristóvão.
- O Rio é a maior escola de gênios do futebol no Brasil.
- Pelé já vestiu as camisas de Flamengo e Vasco, embora não profissionalmente.
- Tem mais cores.
- Embora o estado seja pequeno tem mais história e tradição, além de ser mais antigo.
- Tem as maiores torcidas.
- Tem dois campeões da Taça Libertadores e um Campeão Mundial.
- O palco de seus clássicos é o maior de todos: o Maracanã!
- Tem os mais belos hinos de times.

Bom... aqui já são DEZESSEIS motivos. Não lembro os outros, mas com certeza foram muito mais que isso, muito mais de vinte! Lembro que ele finalizou dizendo: "Resumindo: os juiz-foranos são pessoas muito inteligentes!".

E eu completo: inteligentes e gostamos de emoções fortes, por isso grito de novo: "Quero cantar pro mundo inteiro a alegria de ser RUBRO-NEGRO!!!"

CAMPEONATO CARIOCA FOREVER!!! Porque mesmo não sendo perfeito, sempre será o mais emocionante, em tudo o melhor!!!

SRN!!!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Músicas belas (ou melhor, as letras delas) - Ih! Rimou! rsrs

Amanhã
(Guilherme Arantes)

Amanhã será um lindo dia,
da mais louca alegria
Que se possa imaginar,


amanhã redobrada a força
Pra cima que não cessa,

há de vingar
Amanhã mais nenhum mistério,
acima do ilusório
O astro rei vai brilhar,


amanhã a luminosidade
Alheia a qualquer vontade,

há de imperar, há de imperar
Amanhã está toda a esperança
por menor que pareça
O que existe é pra festejar,


amanhã apesar de hoje
Ser a estrada que surge,

pra de trilhar
Amanhã mesmo que uns não queiram
será de outros que esperam
Ver o dia raiar,


amanhã ódios aplacados,
temores abrandados
Será pleno, será pleno...


*O "amanhã" começa hoje, afinal se colhe amanhã somente o que se planta hoje, portanto saibamos plantar pra depois não reclamarmos da colheita! rsrsrs



Offer
(Alanis Morissette)

Who, who am I to be blue?
Looking my family and fortune
Looking my friends and my house

Who, who am I to feel dead?
And, who am I to feel spent?
Looking my health and my money

And where, where do I go to feel good?
Why do I still look outside me
When clearly I've seen it won't work?

Is it my calling to keep on when I'm unable?
Is it my job to be selfless extraordinaire?
And my generosity has me disabled by this
My sense of du - ty to off - er

And why, why do I feel so ungrateful?
Me who is far beyond survival
Me who's seen life as an oyster

Is it my calling to keep on when I'm unable?
Is it my job to be selfless extraordinaire?
And my generousity has me disabled by this
My sense of du - ty to off - er

And how, how dare I rest on my laurels?
How dare I ignore an outstretched hand?
How dare I ignore a third world country?

Is it my calling to keep on when I'm unable?
Is it my job to be selfless extraordinaire?
And my generousity has me disabled by this
My sense of du - ty to off - er

Who, who am I to be blue?
*Quem sou eu pra ser triste?

Nãooo, eu não vou traduzir tudo desta vez...
É sempre bom exercitar o inglês!!!
E pra quem não sabe inglês hoje em dia é fácil... tem o google!
Portanto, de um jeito ou de outro, nada de preguiçaaa!!!

*Brincadeirinha, viu?


BOM FINAL DE SEMANA...
E até segunda!!!

Quem... quem sou eu pra ser triste??? Viver vale a pena!!!






















Esta jovem estava com cancer, em estado terminal. Emagrecia a cada dia... Sentia dores horríveis!

Mas... mesmo sabendo que tinha seus dias contados, não se entregou, não desistiu da vida nem de realizar seu sonho.

Ela fez questão de cumprir à risca o que ela e seu noivo haviam planejado: casou-se vestida de noiva, com direito a festa, música e tudo o mais.

Vejam o sorrisão da moça!!! Ela partiu pro outro lado da vida poucos dias depois de se casar. Mas "viajou" feliz, porque valorizou sua existência neste mundo até o último momento, e não deixou que uma doença, mesmo grave como era em seu caso, atrapalhasse ou mudasse seus planos!!!
E nós? Será que não tem muita gente saudável e fisicamente perfeita por aí reclamando demais?...
Vamos virar já esse disco, né? Apesar de tudo, A VIDA É TUDO DE BOM!!!
Fotos (da esquerda pra direita e de cima pra baixo):
- Fazendo quimioterapia, em companhia do noivo, antes de se casar.
- Se preparando pro casamento.
- Com o noivo e os sogros.
- O noivo e seus amigos cantando pra ela.
- Descansando, devido às dores, durante a festa.
- Com o noivo em um momento de chamego.
Eu recebi um e-mail com essas fotos e as informações, mas já faz tempo. Salvei apenas as fotos... Por isso, peço q, se alguém souber, coloque nos comentários informações como o nome da moça, entre outros detalhes de que eu não me lembro... Obrigada!


quarta-feira, 15 de abril de 2009

THE SECRET: "Olhai os lírios dos campos"...

A maioria das pessoas têm mania de ficar reclamando da vida, se desesperando com a falta de dinheiro, ou qualquer outra coisa que seja importante. Gostam de ler ou assistir notícias ruins e ficam falando um tempão no assunto! Destacam os defeitos alheios e às vezes até os seus próprios (o que é mais raro, mas acontece). Fazem mais campanhas contra tudo que não gostam do que a favor daquilo que gostam.

Isso é um fato, infelizmente. E sempre foi assim. Mas... só comecei a me dar conta disso há alguns anos atrás, quando uma amiga me deu de presente um DVD do "The Secret". Comecei a aplicá-lo e ver que realmente funciona. O mais legal é que não tem nada a ver com nenhuma religião ou filosofia, mas abrange todas as crenças, não anula nenhuma delas. E tem a ver com física quântica, portanto trata-se de algo comprovado e não de crendices ou suposições.

Nosso pensamento, quando freqüente e reforçado por sentimentos e emoções fortes, cria a nossa realidade, transforma nossas vidas! Não importa se o pensamento é positivo ou negativo: iremos atrair coisas boas se pensarmos nelas, já se pensarmos o contrário, só atraimos coisas ruins. É fato.

Eu, cada vez mais tenho procurado utilizar o "segredo" (a lei da atração). Se fico triste, procuro logo fazer algo que levante o meu astral. Estou com vontade de mandar fazer pra mim camisetas com os dizeres: "Só me conte coisas boas!". Como aquela música da Xuxa que dizia: "De hoje em diante, só quero boas notícias..." Sempre assisto ao filme "The Secret" e pouco depois de ter ganho o DVD, comprei o livro também, de Rhonda Byrne. É meu livro de cabeceira, junto com outros que leio (já que estou sempre lendo mais de um livro mesmo)... Já o li todo, mas sempre abro em alguma página e a leio, todas as manhãs. Tem me feito muitooo bem!!!

Mas... por que os jornais (de papel ou da TV) adoram destacar as notícias ruins??? "Ah, porque vende mais, dá mais ibope", alguns dirão. E é a mais pura verdade! Mas por que? Por que as pessoas preferem esse tipo de reportagem? Por que gostam mais de filmes de violência, tragédia e principalmente terror do que filmes com final feliz? Tudo bem, todo filme tem que ter alguma dramaticidade, até mesmo as comédias tem alguma questão a ser resolvida. Mas o importante é que o final seja feliz! Mas... muitas pessoas preferem filmes com finais nadaaa felizes!!!

Eu me atrevo a dar uma resposta pra isso: acho que a maioria das pessoas têm uma visão negativa de si mesmas, da vida em geral, do mundo... e muitas delas nem se dão conta disso. Muitas vezes, não é algo consciente. Então, elas vão fingindo que estão bem, e projetam suas frustrações e seus instintos violentos e negativos nos filmes e programas que escolhem pra assistir.

Acho que não custa nada mudarmos esse tipo de hábito. Com um pouco de esforço a gente consegue!!! Jack Canfield, um dos co-autores de "The Secret" conta que Madre Tereza sempre dizia que jamais a convidassem para uma passeata contra a guerra, mas se fosse a favor da paz, ela iria com prazer. "Ela conhecia o Segredo!", completa Jack.

Não estou aqui pra fazer propaganda do livro ou do filme. Nem pra resumí-lo aqui. Mas para dizer que o conhecimento que tem ali (e em outros livros também, sobre o mesmo assunto) deve ser pôsto em prática imediatamente por cada um de nós.

Vamos parar de dar ibope pra notícias ruins. Vamos parar de encher a bola de políticos safados, de ladrões, pilantras de todo tipo, assassinos, traficantes... Vamos parar de ficar o tempo todo falando neles!!! E isso vale pra mim também. Aqui mesmo no blog, vou procurar me lembrar sempre do "segredo" quando for postar algo. Mesmo que eu tenha que ser contra algo, vou ser muito mais A FAVOR DO CONTRÁRIO a esse "algo".



O SEGREDO E O CRISTIANISMO.



Algumas pessoas criticam este livro porque dizem que ele não fala de Deus.
Primeiro: fala sim e quem já viu o filme ou leu o livro sabe disso.
Segundo: o livro não é religioso, mesmo SE não falasse de DEUS não estaria errado, não teria nenhuma obrigação de falar.

O livro fala da lei da atração, que sem dúvidas é uma das muitas sábias leis de Deus, ou dessa força, dessa energia inteligente e soberana que chamamos de Deus (justamente por não ter um nome - ou ter tantos, de acordo com cada religião ou crença). Há outras leis como a da gravidade, e nos livros sobre este assunto normalmente não se fala de Deus. E ninguém reclama!

Outra lei de Deus é a que rege nossos corpos físicos. E ela diz que temos que nos alimentar para vivermos. Nos livros sobre alimentação, culinária e nutrição também, na maioria deles não se fala de Deus. Mas também ninguém costuma criticar...

Há quem diga que o livro/filme de Rhonda Byrne bate de frente com o cristianismo. Bom... cada um tem o direito de pensar o que quiser, e de expor sua opinião. Eu estou aqui para expor a minha e discordo completamente.

Vou pegar uma frase do Evangelho onde Jesus diz: "Olhai os lírios dos campos"! Claro que este grande Mestre não estava querendo criar com isso um bando de vagabundos que ficassem olhando o céu sem fazer nada. É óbvio que ali ele apenas estavam dizendo o mesmo que os autores de "The Secret" dizem: a vida é abundante, o mundo é farto e portanto tem pra todo mundo. Não precisa se desesperar, não precisa ter ganância, nem brigar pra ter dinheiro. O Universo sempre provê. O que temos que fazer é acreditar. O que não significa não trabalharmos naquilo de que gostamos. Se fazemos o que gostamos, aquilo que temos dom ou vocação para fazer, com certeza o dinheiro, o sucesso e a prosperidade virão, naturalmente. Porque quando fazemos o que gostamos, fazemos bem feito. Tudo que é feito com alegria e prazer sai bem feito e assim, progredimos. Os lírios dos campos não disputam, não brigam entre si e estão sempre muito bem vestidos. Bela metáfora deixada por Jesus e até hoje tão mal compreendida por muitos.

Quando Jesus diz que somos luz, diz "fazei brilhar a vossa luz", diz que chegaremos mais adiante do que ele chegou, o que ele está dizendo? Que podemos, sim. Temos esse poder, somos centelhas divinas, portanto o que ele diz está de acordo com o "Segredo".

Jesus, Krishna, Buda... todos eles dizem que a vida é abundante, que viemos ao mundo para sermos felizes, que devemos respeitar uns aos outros, aos animais, a natureza... Que temos mais poder do que imaginamos. Todos eles nos ensinaram sobre essa lei divina que é a lei da atração descrita em livros como o "The Secret".

Porém, para algumas religiões e "religiões" não é conveniente conscientizar as pessoas desse poder, porque assim elas deixariam de depender de um sacerdote para adestrá-las. Como ovelhinhas que precisam de um pastor. Mas somos seres racionais, podemos sim, pensar com nossas cabeças e nos darmos conta do que realmente somos.

Como diz sempre um amigo meu: Jesus não criou o cristianismo, Krishna não criou o bhramanismo e Buda não criou o budismo... Eles nos ensinaram muitas coisas e se bebermos direto na fonte, sem intermediários, vamos nos dar conta de que eles nos ensinaram o "segredo".

Muitos tentaram escondê-lo, mas agora é chegada a hora de tiramos o tampa-olho que muitos líderes (sejam políticos, religiosos ou o que for) quiseram nos pôr.


O pensamento é tudo! E colhemos o que plantamos. Isso é fato. Portanto... vamos parar de reclamar da vida e procurar fazer a NOSSA parte para termos um mundo melhor. É possível se a gente quiser. Que tal começarmos PENSANDO positivo e agradecendo em vez de reclamar? É um bom começo, não?


Bom... pra ilustrar isso, aqui vão duas frases, de autores desconhecidos:

"IMPOSSÍVEL É TUDO AQUILO QUE AINDA NÃO SE TENTOU REALIZAR".

"NÃO SABENDO QUE ERA IMPOSSÍVEL, FOI LÁ E FEZ".



Um abraço a todos e uma boa noiteee!!!
Até sexta-feira!!!



*Não sou contra as religiões, sou contra o que algumas pessoas fazem com elas!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

A menina do NARIZINHO arrebitado























































“Narizinho Arrebitado, do olho curioso e do ouvido xereta... No meio da boca sempre um riso feliz!!!” Essas palavras contidas nesta conhecida canção que homenageia a personagem (cujo LP “Pirlimpimpim”, lançado em 1982 eu tenho até hoje guardado com muito carinho) é simplesmente a cara da Narizinho!

Fala-se muito na Emília. E eu adorooo a Emília, amo mesmo essa boneca de pano esperta e atrevida! Tenho até hoje também uma boneca Emília da "Estrela" que ganhei quando eu tinha quatro anos. A Emília é demais! Mas eu quero homenagear no meu site, que em breve estará no ar (Nota do Blog: já está no ar desde 2010), a personagem NARIZINHO, porque foi com ela que tudo começou. Foi da cabeça dela que nasceram todas as “reinações”, todo aquele rico mundo da imaginação. Foi através desse mundo criado pela Narizinho que a boneca Emília começou a falar.

A Narizinho é a primeira personagem do Sítio do Picapau Amarelo criada por Monteiro Lobato. É o primeiro livro que ele lançou. E por eu ser mulher, é a personagem com a qual mais me identifiquei na infância. Eu queria ir ao Sítio pra brincar com ela! rsrsrs

Coisas de menina...

Narizinho pra mim tem, sempre teve e sempre terá o rosto, a voz, o sorriso e o jeitinho meigo e sapeca da Daniele Rodrigues. Ela simplesmente é a Narizinho pra mim, pra minha geração. Podem vir quantas Narizinhos vierem, mas a Dani foi a Narizinho que marcou a minha infância.

Eu sei que a Narizinho que mais ficou na memória da maioria das crianças da época foi a Rosana Garcia. Pudera! Ela, além de ter interpretado muito bem a personagem, foi a primeira Narizinho da Globo, e de cara, ficou quatro anos seguidos no ar (a Dani também teria ficado esse tempo se não fosse o imprevisto de ordem pessoal que a fez deixar o programa antes do esperado). Foi a Rosana que esteve no maior número de episódios do Sítio: participou de umas 30 histórias, viveu tantas aventuras... Ela “pegou” o maior número de crianças, porque tanto quem estava no final da infância (com uns 11, 12 anos) em 77 até quem estava no começo dela (com uns 5 anos ou até menos) em 80 conheceu a Narizinho com o rosto dela. Assim, ela foi Narizinho pra mais de uma geração de crianças.


Ano passado, numa enquete do orkut que perguntava quem tinha sido a verdadeira Narizinho do Sítio, a Rosana ganhou disparado, como já era de se prever. Ela ficou em primeiro lugar com mais de 100 votos! A Dani ficou em segundo com menos de 20 votos! O que é perfeitamente justificável. As outras votadas foram: Lara Rodrigues (9 votos), Raquel de Queiroz (4 votos) e Izabela Bicalho (2 votos). Portanto eu respeito a Rosana e o trabalho dela como Narizinho.


Mas vou contar a minha história... as minhas lembranças...


A memória de infância mais antiga que tenho do Sítio vem de 1980. Uma cena em especial me marcou: Emília (Reny de Oliveira) e Narizinho (Rosana Garcia) num cavalo dizendo que estavam com “uma perna vazia”. O episódio era “A Rainha das Abelhas” (fiquei sabendo o nome certo muito tempo depois).

Lembro também da morte da Emília, o que me deixou triste. Fora isso lembro de cenas soltas, imagens vagas... Lembro de perguntar à minha avó (isso antes de 80, acho) se eram dois meninos, Pedrinho e Narizinho. Quando ela me respondeu que a Narizinho era menina achei estranho porque o apelido era masculino. Então ela me explicou que ela tinha esse apelido porque ela era a menina do narizinho arrebitado. O cabelo curtinho e enrolado da Rosana Garcia também colaborou pra que eu a confundisse com um menino. Mas depois reparei que ela usava vestidos.

No dia do meu terceiro aniversário, eu ganhei do meu tio a coleção dos livros de Monteiro Lobato dos quais o primeiro é “Reinações de Narizinho”. A coleção tem lugar de destaque na minha estante! Eu não sabia ler ainda, mas ficava vendo as gravuras e ouvia atentamente as histórias que minha mãe, avó e tios liam pra mim. Eu sabia que a Narizinho era uma menina de 7 anos. O que eu achava mais estranho na TV era que os netinhos eram do tamanho ou maiores que a vovó. A Narizinho não se parecia com as minhas amiguinhas, mas sim com as irmãs mais velhas delas, que já não brincavam com a gente e só queriam conversar sobre meninos bonitos.

Um dia, minha avó me chamou pra ver uma “entrevista da Narizinho”. Então eu vi, não me lembro em qual programa de TV, a Rosana Garcia de maquiagem e sapato de salto alto. Ali eu tive a confirmação: ela era mesmo uma adulta.

Quando eu soube que a Narizinho e o Pedrinho seriam trocados porque os atores estavam muito crescidos pros papéis eu senti algo estranho. Eu até gostava deles mas não me identificava. Achei natural a troca e de alguma forma eu sabia que se o programa continuasse, eles teriam que sair. Então, ao mesmo tempo em que senti saudades antecipadas, aquele gosto de despedida e uma pontinha (bem pequena, é verdade) de tristeza, me vi invadida por um outro sentimento que foi aumentando cada vez mais: a curiosidade em ver como seriam os rostos dos novos netinhos da vovó.

Um primo meu chegou a escrever uma carta pra ser o Pedrinho. Mas eram tantas cartas... Lembro de ter visto na televisão o Júlio César (Pedrinho) convidando a criançada pra uma festa de despedida com todo o elenco do Sítio. E assim terminou 1980.

No começo de 1981 eu cheguei da escola correndo e sentei na minha poltrona preferida pra ver o Sítio. Eu estava ansiosa! Eu ia conhecer os novos Pedrinho e Narizinho. E logo no começo do programa aparece a Narizinho (Dani). A impressão que eu tive foi a melhor possível. Foi tipo: “Essa é a verdadeira Narizinho!”. Depois eu vi o Pedrinho e concluí: “Agora sim! São como no livro! São crianças como eu e com eles eu posso brincar”. Mas foi uma sensação que eu não expressei com palavras, apenas senti.

Passei a assistir ao Sítio todos os dias, mais atentamente do que nunca!

O primeiro episódio foi "A Chave do Tamanho" e todo mundo ficava pequenininho! Isso me marcou bastante. Na época talvez eu não tenha gravado na memória ou percebido, mas hoje vejo que já no começo daquele episódio, antes do "encolhimento" das pessoas, há uma mensagem ecológica. Quando o tio Barnabé pergunta à Narizinho o que ela fará com o passarinho "dela" (que estava doente e ela cuidou), ela responde: "Ele não é meu, é dele mesmo... vou soltar!

"O episódio "O Espelho da Cuca" foi muito mágico... Tinha A Iara (Angelina Muniz), a Cuca com seu espelho (que na verdade era da Iara) dizendo "Lindonaaa", e um cena que me comoveu: não me lembro bem porque, mas a Emília estava presa em uma garrafa no fundo de um rio e a Narizinho aceitava ficar no lugar dela. O amor da menina por sua boneca a fez trocar de lugar com ela. Aquilo mexeu muito comigo. Fiquei me perguntando se eu faria o mesmo... Essa imagem nunca mais me saiu da cabeça!!!

Eu chorei quando perdi um capítulo do episódio “Rapunzel” porque cheguei atrasada da escola. Então acordei cedo na semana seguinte pra ver a reprise do capítulo às 8 horas da manhã. Nesse episódio a bruxa era a Dona Benta! A Rapunzel era a Lucinha Lins e o príncipe era o Mário Cardoso (ele sempre fazia papel de príncipe, no Sítio!). Um dos melhores de todos os episódios com certeza e o meu preferido, embora tenham tantos que eu adoro! Lembro que teve uma cena em “Rapunzel” que a Narizinho saía na chuva e ficava dançando toda feliz. Depois, toda molhada, levava uma bronca da vovó ao mesmo tempo que ganhava um chá quente. Ela dizia que achava a chuva tão bonita e por isso deu vontade de sair lá fora. Eu ficava com muita vontade de fazer o mesmo quando chovia. Mas minha mãe não deixava! rsrsrs
Eu amava o Sítio. Amava os personagens, as histórias, as aberturas, as músicas... Comprei álbum de figurinhas do Sítio e tudo o mais... Chegava a sonhar com as aventuras do programa!

1982 foi o melhor ano pra mim, porque passei a estudar de manhã. À tarde eu estava livre pra fazer algum dever de casa, caso houvesse e ver o Sítio tranqüilamente, sem corre-corre. Era o paraíso! E a hora do “Sítio” era sagrada pra mim! Minha avó costumava me trazer coisas de que eu gostava como Nescau, leite em pó, vitaminas...

Era o ano do centenário de Monteiro Lobato e fomos premiados com episódios mais curtos e eletrizantes! Muitos contos de fadas, histórias das “Mil e uma noites” (que adoro!), mil aventuras com a Cuca e os sacis aprontando todas, visitantes dos mais pirados no Sítio, Narizinho no reino das Àguas Claras, Emília cheia de novidades e mistérios...

E em outubro, o especial “Pirlimpimpim”, com um monte de músicas legais, incluindo, além de temas dos personagens fixos do programa, outras músicas como “Rapunzel”, que foi cantada no episódio homônimo do ano anterior. Eu estava mais feliz que pinto no lixo! rsrsrs

Mas em 1983 só se falava em um novo programa que iria estrear: o “Balão Mágico”. Nem se falava no Sítio e havia boatos de que o programa iria acabar. Mas eram apenas boatos felizmente, e o programa voltou. Mas voltou em um horário que detestei: ao meio-dia! Hora que eu estava chegando da escola e tinha que trocar de roupa pra almoçar. Raramente conseguia ver um capítulo inteiro. No primeiro capítulo do ano consegui reparar apenas que a Emília fora trocada. Fiquei decepcionada pois adorava a Reny de Oliveira! No dia seguinte ao comentar este fato com um colega na escola ele falou: “É, e a Narizinho também é outra”. Lembro de ter ouvido “Ah, não!” de colegas que não tinham chegado em casa a tempo de ver o Sítio e não sabiam das trocas das atrizes que viviam a Emília e a Narizinho. Eu só tinha visto a Narizinho de longe, no meio da correria e percebi que ela estava mais morena, o cabelo parecia um pouco mais escuro e não estava exatamente tão lisinho quanto antes; a voz também estava diferente, mais grossinha. Mas embora não tenha pensado nisso racionalmente, a impressão que ficou pra mim é que ela pudesse ter tomado sol nas férias, ter feito algo no cabelo e estar gripada (por isso a voz meio grossinha e rouca). Nem passou pela minha cabeça que pudesse ser outra menina!

No segundo dia do Sítio naquele ano, cheguei correndo da aula e antes de trocar de roupa liguei a TV e estava lá aquela Emília que não parava de piscar os olhos! Eu torci pra que meu colega estivesse enganado quanto à mudança da Narizinho. Nesse dia uma colega minha foi almoçar na minha casa, e quando a Narizinho apareceu nós reparamos bem nela, nos olhamos e falamos ao mesmo tempo, surpresas: “Mas essa aí é a filha da Priscila Capricci!”. Estávamos nos referindo à personagem vivida pela Izabela Bicalho em 1982 na novela “Sétimo Sentido”. Nunca conseguimos vê-la como Narizinho. Era como se fosse a Priscilinha fantasiada de Narizinho.

Um primo meu certo dia comentou: “Já teve três Narizinhos no Sítio; aquela do cabelo enroladinho (Rosana), a Narizinho mesmo (Dani) e essa Narizinho de agora que é a filha da Priscila (Izabela)”.

Eu não entendia porque a Dani tinha deixado o programa já que o Pedrinho (Marcelo José) que era três anos mais velho que ela, continuava. A Dani entrou pro Sítio com a idade ideal pra ficar quatro anos ou até mais! Quando ela deixou o programa era mais nova do que a Rosana Garcia ao entrar! Pouco tempo depois veio a explicação: num jornal que minha avó me mostrou estava uma foto da Dani e o artigo falava que sua família havia se mudado do Rio devido a uma transferência de seu padrasto. Mas ela estava fazendo um filme com os Trapalhões antes de se mudar definitivamente.

Certo dia a filha da minha vizinha, uns dois ou três anos mais nova do que eu, que costumava ir à minha casa pra brincarmos chegou toda feliz me contando a grande novidade: “Você já viu o que vai ter nas férias?”. Eu disse que não e ela continuou: “Vai voltar o Sítio com aquela Narizinho ‘mais boa’ do ano passado!”. Então passei a prestar mais atenção nos intervalos comercias da Globo e de fato: estavam anunciando pras férias de julho/83 as reprises de episódios anteriores e um deles era mesmo com a Dani. Se não me engano os episódios reprisados foram: “A Cuca vai pegar”, de 77 (do qual eu não me lembrava e pude assistir pela primeira vez) e “O Circo de Escavalinho”, de 81.

Em dezembro-83/janeiro-84 vieram mais reprises. “A chave do tamanho”, de 81 e “Aí vem Tom Mix”, de 82 foram os dois episódios reprisados nos quais a Dani era a Narizinho. A TVE também passou a exibir sempre reprises e assim eu conseguia ver o Sítio com aquelas que pra mim eram as verdadeiras Narizinho (Dani) e Emília (Reny). Minhas amiguinhas costumavam ir lá pra casa pra assistirmos juntas às reprises. Eram tardes animadas!!!

Muitas Narizinhos vieram depois... Mas eu acho que todas essas atrizes, em todas as versões do Sítio, acabaram ficando marcadas pela personagem. Umas mais, outras menos, mas todas elas sempre terão a marca de terem um dia, vivido essa mágica personagem de Monteiro Lobato.


*Todas elas terão espaço no sub-site (parte do meu site dedicada à personagem): além de Rosana, Dani, Izabela e Gabriela (as quatro Narizinhos da primeira versão da Globo) estarão lá Lara Rodrigues, Caroline Molinare, Amanda Diniz, Raquel de Queiróz (as Narizinhos da década atual) e a primeira Narizinho da TV Tupi, Edy Cerri, que interpretou a personagem por mais de uma década.

Mas voltando às recordações... Lembro que em 84 minha mãe me disse: “A Narizinho está nessa nova mini-série (‘Anarquistas Graças a Deus’)”. Como a mini-série era exibida à noite e eu tinha que dormir cedo pra acordar cedo no dia seguinte e ir pra escola, eu não pude ver.

Mas dei sorte: de dezembro de 85 a janeiro de 86 a mini-série foi reprisada em versão compacta à tarde. Então eu vi a minha eterna Narizinho interpretando brilhantemente a protagonista da história: a própria Zélia Gattai quando era criança.

Logo depois, o Sítio apresentava seu novo (que acabou sendo o último) episódio, com Gabriela Senra interpretando a Narizinho. Uma Narizinho bem moderna, de short e tênis. Não vi o episódio todo porque viajei. Mas ali era o fim de um sonho. Pelo menos era o fim daquela produção, daquela versão do Sítio na tela da Rede Globo. Fiquei muito triste, mas àquela altura eu tinha outros ídolos que se somavam aos antigos: a turma do Balão Mágico e a Xuxa. E eu ainda tinha o Sítio nas reprises (cada vez mais escassas) da TVE.

Eu cresci e novas reprises vieram, na TVE, depois na Globo... Hoje temos o Youtube... Gravei alguns episódios, comprei outros de quem os gravou e ainda fui presenteada com mais uns...

Sempre tem alguma coisa do Sítio sendo lançada pela Globo em VHS, CD ou DVD. E eu continuo lendo as histórias dos meus livros.

Dia desses, eu estava assistindo ao episódio “A Bela e a Fera” do qual tenho os primeiros capítulos quando minha tia sentou no sofá, enquanto ainda estava passando a abertura do programa, e ficou vendo comigo. Ao ver a Dani logo na primeira cena, ela deu aquela famosa risadinha que os mais velhos dão quando se encantam com alguma criança e disse: “Essa menina trabalhava um bocado bem de Narizinho!”. Eu concordo plenamente!!!

Tivemos uma nova versão do Sítio a partir de 2001, que também já saiu do ar (e agora é reprisada pelo Canal Futura)... Uma versão que na minha opinião não pode ser comparada àquela que vi na minha infância. Mas é bom saber que as crianças de hoje em dia podem ver o Sítio do Picapau Amarelo e mergulhar naquele mundo encantado de Monteiro Lobato!

A turminha do Sítio mora pra sempre em minha cabeça e em meu coração nas figuras de Zilka Salaberry (Dona Benta), Jacyra Sampaio (Tia Nastácia), Daniele Rodrigues (Narizinho), Marcelo José (Pedrinho), Reny de Oliveira (Emília), André Valli (Visconde), Samuel dos Santos (Tio Barnabé), Romeu Evaristo (Saci Pererê), Catarina Abdalla (Cuca), Tonico Pereira (Zé Carneiro), Canarinho (Garnizé) e Ivan Senna (João Perfeito).

FOTOS, Daniele Rodrigues como NARIZINHO (sempre da esquerda pra direita e de cima pra baixo):

- Narizinho, sozinha.
- Narizinho e Emília (Reny de Oliveira).
- Narizinho e Dona Benta (Zilka Sallaberry).
- Narizinho, sozinha.- Narizinho, Pedrinho (Marcelo José) e Emília (Reny de Oliveira).
- Narizinho e tio Barnabé (Samuel dos Santos), com o passarinho.
- Narizinho, sozinha.- Narizinho e Pedrinho (Marcelo José).

E... mais uma vez eu conto um pouco da minha infância. Antes eu homenageei a Xuxa neste blog, agora faço a minha homenagem à Narizinho, especialmente à Dani Rodrigues. Fui uma felizarda porque peguei os melhores programas infantis: Sítio do Picapau Amarelo, Globo Cor Especial, Balão Mágico e Xou da Xuxa. Infelizmente hoje em dia os progrmas infantis estão muito decadentes... Falta criatividade!!! E falta as crianças GOSTAREM de ser crianças.

É isso aí... Abração a todos e uma super-semana!!!

Resposta (Meu site 2)





































Dessa vez mais pessoas acertaram!!!


A pergunta do meu post do dia 06/04 era "O que essas quatro mulheres têm em comum"?

Antes de dizer o que, é importante dizer QUEM são elas...

São as atrizes Rosana Garcia (hoje com 44 anos), Daniele Rodrigues (hoje com 37 anos), Izabela Bicalho (hoje com 36 anos) e Gabriela Senra (hoje com 33 anos).

Essas mulheres, adultas, maduras, mães... começaram cedo a trabalhar na TV e todas elas têm uma personagem muito especial em comum. Como já foi respondido nos comentários, elas foram a NARIZINHO do Sítio do Picapau Amarelo entre março de 1977 a janeiro de 1986.

A primeira foi Rosana, que esteve em quatro temporadas e 31 das histórias (ou séries, episódios, aventuras - cada um chama como preferir) do Sítio.

A segunda foi Daniele, que esteve nas duas temporadas seguintes e em 23 histórias.

A terceira foi Izabela, que esteve em outras duas temporadas e em 12 histórias.

A quarta e última foi Gabriela, que esteve na última temporada e em 2 histórias.

As fotos estão nessa ordem, que é a ordem em que elas entraram pro Sítio, como Narizinho. E é a mesma ordem em que as atrizes apareceram no post do dia seis. São duas fotos de cada Narizinho (sempre da esquerda pra direita e de cima pra baixo):
Rosana Garcia sozinha e acompanhada da Emília (Dirce Migliaccio) e do Pedrinho (Júlio César); Daniele Rodrigues sozinha e acompanhada da Emília (Reny de Oliveira) e do Pedrinho (Marcelo José); Izabela Bicalho sozinha e acompanhada da Emília (Suzana Abranches) e do Pedrinho (Marcelo José); Gabriela Senra sozinha e acompanhada da Emília (Suzana Abranches) e do Pedrinho (Daniel Lobo).